Família de Nazaré foi uma iniciativa de Deus

Postado por no 14 maio, 2013 em Deus nos fala | 0 comentário(os)

Família de Nazaré foi uma iniciativa de Deus

“A Fundação desta obra vem de mim, diz o Senhor. Sou Eu que tomei a iniciativa. Eu te escolhi para que fosses apenas meu mensageiro, o instrumento do meu amor. Esta obra é uma obra de amor. O fundamento dela é o meu amor e a minha misericórdia.

Vós sois apenas instrumentos para que meu amor atinja as pessoas e os corações. Aqueles que forem atingidos pelo meu amor levá-lo-ão a outros e assim vai acontecendo a transformação do mundo, a partir da renovação das mentes e dos corações.

Este é o apelo que te fiz um dia e que deverá comunicar a outros: “Restaura o meu corpo arrebentado, chagado, doente e desfigurado. Faz alguma coisa”. Eu te mostrei a situação dos jovens e te mostrei a minha dor, a minha angústia diante do mal que assola o mundo: a ausência do meu amor, a ausência de mim.

Eu sou o amor que vive no interior dos homens, mas não sou amado; não sou percebido, nem encontrado; não sou acolhido, nem procurado. Aqui neste lugar, Eu vos ensino a me buscar nas profundezas de vosso ser. É por isso que insisto a desobstruirdes a fonte, a buscardes na nascente, a matardes vossa sede na fonte de água viva que há em vosso interior. Esta fonte jorrará eternamente.

Minha filha, presta bem atenção ao que vou te revelar. É um segredo que revelo a poucos. Somente aqueles que trago colado em meu coração.

“Somos íntimos” Eu te revelei um dia e tu acreditaste em mim. “Tu me tocas nas minhas chagas e Eu te toco nas tuas entranhas”. Lembra-te?

Não há mais nada a esperar. Chegou a hora da nossa união plena. Sois minha e não a divido com mais ninguém.

Eu liberto hoje teus filhos, tua família, teus filhos no Espírito. Com eles virão muitos outros que buscarão outros e outros até que minha Igreja seja levantada, uma Igreja nova construída com muita dor, com muito sofrimento, com o meu sofrimento encarnado nela. Uma Igreja feita de carne, feita de pessoas que experimentaram a dor da renúncia, da perda, da entrega, da humilhação e do desprezo por amor a mim e ao meu reino.

É esta Igreja que subirá comigo no último dia. Tu queres fazer parte da minha Igreja? Tu queres ser instrumento de salvação para este mundo atolado no egoísmo, no desamor e ausência de Deus? Só preciso do teu “sim” como foi o “sim” de minha mãe. O resto Eu faço.

Que resto Senhor? Perguntei-lhe.
A tua transformação, a tua libertação e purificação.

O resto é tudo o mais que poderá acontecer por causa do teu “sim”. Quero apenas o teu “sim” e a tua vida como prova de amor. A alegria e a paz que te darei é a plenitude da graça e do meu amor.
Tenho pressa. Quero contar contigo.

Comments

comments