História

História

Próximo a uma pequena cidade do interior de Goiás, Rio Quente, situada no coração do Brasil, surge a “Família de Nazaré”, formada por cristãos evangelizados quesentiram o chamado de Deus para doarem suas vidas para a salvação de todos os homens.

Esta linda vocação nasceu no coração de um casal: José Bernardes e Maria Alice, no ano de 1984, através de Isaías 52, 7 e 11-12, quando Deus lhos mandava partir. Obedeceram esta ordem do Senhor e partiram para Goiás com seus 4 filhos ainda pequenos começando uma vida totalmente nova. Aconteceu aí sua primeira saída.

A José, o Senhor deu o dom da Fé. Suscitou-lhe a renúncia de si mesmo e a doação da esposa a Deus. A Maria Alice, Ele deu o dom da Escuta e Obediência à Sua vontade. Suscitou-lhe a entrega de vida pela salvação do mundo.

A ele, o Senhor suscitou a doação de um pedaço de terra que foi consagrado a Deus, no dia 2 de agosto de 1986. Neste dia, foi fincada uma cruz no local como marco inicial.

A ela, foi dada a inspiração do projeto no dia 02 de agosto de 1987, exatamente um ano após a consagração da terra.

casalO Senhor mostrou a obra material, acompanhada do sentido espiritual da mesma, cujo formato era o de uma grande cruz. O Senhor quis deixar a Sua marca neste solo brasileiro, no centro do país, para que daqui seja irradiado o Evangelho, através das vidas que se anularem para que Jesus se manifeste vivo ao mundo através delas. Daí a marca de consagração desta família espiritual ser a cruz, da qual brota a verdadeira vida.

Sentiram-se muito pequenos para a concretização de uma obra tão grande. Mesmo assim os dois, juntamente com o pequeno grupo que caminhava com eles, fundaram a Associação Católica Família de Nazaré, também no dia 02 de agosto 1990. Como nas coisas de Deus não há coincidência e, sim, providência, 02 de agosto ficou sendo a data em que se comemora o nascimento desta obra de fé e de amor.

Após um período de muita oração iniciaram, em julho de 1992, a construção da pequena casa onde está contida toda espiritualidade da família de Nazaré: simplicidade, humildade, acolhida e muito amor. No início de 1995, Deus suscita no coração da fundadora um desejo de retirada, isolamento, silêncio e adoração, na pequena Casa de Nazaré. Longe do barulho e da confusão, Deus queria lhe falar ao coração. Ali ela teve, no dia 31 de março de 1995, uma experiência muito forte que marcou o início de uma nova fase em sua caminhada espiritual.
Experimentou, fisicamente, a dor da crucifixão. Grande foi o seu sofrimento quando Deus lhe pediu a renúncia dos prazeres e regalias deste mundo.

Como Nossa Senhora e São José, deveria viver, com seu esposo, a castidade total. Em meio a lágrimas de dor e de amor, deu o seu “sim” a Deus, o qual foi preparando também o coração de José. Desta experiência de morrer na cruz com Jesus e ser colocada sem vida nos braços de Nossa Senhora, surgiu o lema “MORRER PARA VIVER”. Confirmou também o chamado a deixar-se “conceber”, “gerar”, e “formar” pela Santíssima Virgem. Chamado este que havia recebido no ano de 1983, quando experimentou ser um feto dentro do útero de uma mulher, ouvindo uma voz interior que dizia: “O homem novo, à imagem e semelhança de Jesus Cristo, só pode ser gerado sob a proteção do ventre espiritual da Virgem Maria.”

Durante todo o ano de 1995, pela graça do jejum, da fidelidade à oração e do rosário, especialmente a contemplação dos mistérios dolorosos, foi sendo despertado nela um ardente desejo interior de abraçar a cruz, compreendendo o sentido do verdadeiro amor, que é “dar a vida” pela salvação de todos. O seu único desejo era acolher a vontade de Deus para sua vida e para aquele local.

escreviadocoracao
Escrevia tudo que lhe vinha ao coração e estes escritos têm servido de suporte para todos os vocacionados. Obedecendo a uma ordem do Senhor, foi construído um ranchão de sapé e, no dia 02 de agosto de 1996, foi realizado o primeiro encontro de evangelização, os quais continuam até hoje.

Em 1997 iniciou-se a construção da Casa de Oração que foi levantada com doações de todo o povo que acredita nesta obra de Deus.

Em 10 de Julho de 1998, partia para a casa paterna seu amado esposo e companheiro de missão, deixando um lindo testemunho de fé, entrega e fidelidade a Deus.

josesemente
José tornou-se a primeira semente lançada na terra na Casa de Maria, para que, da sua morte brotasse a vida eterna para todos nós.

Em 2000, Deus lhe pedia que renunciasse a toda herança e, como Francisco de Assis, ela despojasse da família, do conforto, do trabalho remunerado, enfim, de toda segurança material e afetiva. Foi a segunda grande saída em sua vida. Aos 20 dias de agosto deste mesmo ano, ela deu o passo na fé e passou a viver na Casa de Maria, deixando tudo para trás lançando-se, confiantemente, nesta aventura de fé. E os acontecimentos foram conduzindo sua vida e a de seus irmãos espirituais para que vivessem com apenas o necessário e contassem unicamente com a providência divina.

A vocação Família de Nazaré é um dom para a Igreja. Em Maria, será gerado o filho de Deus em cada um que tem a coragem de dar a própria vida para salvar a vida perdida de muitos irmãos.

Casa de Maria é e será para todos que de lá se aproximarem, um gólgota, onde se morrerá para o mundo e se ressuscitará para Deus.

Maria estará ao pé da cruz, cada vez que seu Filho for crucificado na pessoa de seus discípulos, acolhendo em seus braços e gerando em seu ventre maternal um novo Cristo, vencedor da morte e do pecado.

É o Espírito Santo que realizará esta obra nova de novo nascimento fazendo surgir um mundo novo, um mundo renovado através da renovação das mentes e dos corações.

Casa de Maria, será um celeiro de amor de Deus, amor que transforma, cura, salva e liberta.

Casa de Maria, lugar escolhido por Deus para gerar vida, gerar santos, formar homens e mulheres de Deus e para Deus.

Casa de Maria, lugar de paz, oração, silêncio, e presença de Deus.

Viverão aqui pessoas consagradas, nos seus vários estados de vida. Terão regras de vida e disciplina. Ainda estamos na espera dos vocacionados. A seleção dos eleitos para esta obra de Deus não cabe a nós nem a ninguém.

Serão aqueles que tem a docilidade, a pureza, a fidelidade e a capacidade de doação total, assim como Maria.

Serão aqueles que dirão “sim” sem impor condição alguma.

Serão aqueles que terão a coragem de se abandonar à vontade de Deus.

recolhimento

Não é lugar para lazer, descanso físico ou conversas desnecessárias. É lugar de recolhimento e oração. É onde se viverá a realidade de Nazaré na castidade, na obediência, na pobreza, entregando-se a Deus numa verdadeira “oferta de amor”, para a restauração da Igreja.

É um caminho árduo, mas possível para quem crê!